Doula

Vais adorar a tua gravidez e o teu parto…

Doula – O que faz e quem é?

Doula é uma palavra de origem grega, que significa “aquela que serve”, designa as mulheres que cuidam de outras mulheres durante o período da maternidade.

Agora é conhecida, como representando o apoio específico e contínuo no domínio dos apoios à saúde materna.

O apoio emocional e físico, constante e ininterrupto, é uma das recomendações da Organização Mundial de Saúde, para o nascimento.

…é um profissional, preparado para dar suporte emocional, físico e informativo, na gravidez, parto e pós-parto.

 

…já viveu a experiência da maternidade, e reconhece esta fase como uma, se não mesmo a mais importante, da vida da mulher/casal e da qual guardarão memória para sempre.

 

…apoia a mulher e o acompanhante a prepararem-se e a procurarem alcançar os seus planos e desejos para o nascimento.

 

…proporciona apoio emocional, formas de conforto físico, ajuda a encontrar um objectivo visual de referência e faculta informação que ajude a mulher a tomar decisões.

 

…tem um papel de suporte e apoio tanto para a mulher, como para o acompanhante.

 

A Doula informa e ajuda…

O papel da Doula

Durante a Gravidez

  • Apoia e informa a mãe/casal a planear o parto que desejam e a preparar o nascimento respeitando os seus desejos.
  • Está disponível para esclarecer questões e receios dos pais sempre que seja necessário.
  • A preparar e organizar tudo o que é necessário para o parto, pós-parto e para o bebé.

No Parto

  • Permanecendo consigo durante todo o trabalho de parto, dando suporte físico e emocional de uma-para-uma, tanto em casa, como no hospital – sempre que o permitam.
  • A encontrar posições mais cómodas, propondo formas de respiração favoráveis, ajuda com técnicas de relaxamento, massagens…
  • Complementando o apoio que habitualmente os serviços de saúde disponibilizam para este momento à Mãe/Casal e Família.
  • Esta assistência pode ser realizada em ambiente domiciliar (desde que esteja presente um técnico de saúde devidamente certificado para o efeito) como hospitalar (sempre que as condições o permitam).

No Pós-Parto

  • Na amamentação e nos cuidados do bebé.
  • Transmitindo-lhe confiança, dando suporte
  • Fazendo-a sentir-se acompanhada, cómoda e se necessário apoiada nas cargas domésticas, para que a mãe se possa dedicar ao bebé e a si mesma.

 

Como surgiu a Doula?

No final da década dos anos 80, realizaram-se vários estudos científicos, com o objectivo de avaliarem os benefícios de determinadas práticas de saúde materna no momento de trabalho de parto e pós-parto.

Concluiu-se que as Mães acompanhadas por uma mulher, que lhe prestasse ajuda emocional e física, durante todo o trabalho de parto, tinham resultados surpreendentemente melhores, reduzindo:

  • 50% de cesarianas

  • 25% do tempo de trabalho de parto

  • 30% do recurso aos fórceps

  • 40% do recurso à oxitocina

  • 60% do uso de epidural

  • 30% do recurso a analgésicos

  • Problemas na amamentação

  • Incidência de depressão pós-parto

Dados publicados no livro “ Mothering the Mother” de Marshall H. Kalus, Phyllis H. Klaus e John Kennell.

 

Além disso, outros resultados positivos foram acrescentados, a saber:

  • Aumento nas taxas de amamentação;
  • Diminuição dos índices de Depressão Pós-Parto;
  • Aumento da satisfação materna;
  • Reforço da interação mãe-bebé.

 

Evidências Científicas

A Biblioteca Cochrane de Medicina Baseada em Evidências deixa muito clara a importância das doulas para a melhoria dos resultados obstétricos, demonstrando que a assistência oferecida pelas doulas é sustentada por evidências claras e inquestionáveis:

* “Levando-se em consideração os claros benefícios e a ausência de riscos associados com o apoio durante o parto, todos os esforços devem ser feitos para assegurar que qualquer mulher em trabalho de parto receba suporte contínuo, não apenas daqueles próximos a ela, mas também de profissionais treinados. Esse suporte deve incluir presença contínua, conforto pelo toque e encorajamento”.

Fonte: www.redeportuguesadedoulas.com

 

O que a doula não faz:

  • A doula não efectua qualquer ato médico como: medir tensão arterial, escutar o bebé, toques vaginais, etc. portanto não substitui a vigilância e acompanhamento prestado por um Profissional de Saúde que é fundamental para mãe e bebé na gravidez, parto e pós-parto.
  • Não toma decisões pelos pais. A Doula deverá auxiliá-los com informação, no sentido de poderem fazer escolhas conscientes.
  • Não compete à Doula falar com os profissionais de saúde pelos pais, relativamente a assuntos sobre os quais estejam a ser tomadas decisões. A Doula conversará com ambos sobre as suas dúvidas e poderá sugerir opções. Mas só a Mulher/Casal deverá falar sobre si próprios com a equipe médica.
  • A doula não deve perturbar o ambiente domiciliar nem hospitalar por razões pessoais ou outras. A equipa precisa de sentir que a doula é um elo de ligação e uma mais-ajuda ao processo e não uma perturbação ou entrave.

 

A Doula é um apoio importante, mas a mãe e o seu acompanhante são as pessoas chave, sendo que a – Mãe – em conjunto com o seu Bebé serão os atores principais deste enredo.

“Se a Doula fosse um medicamento seria antiético não ser receitado” John Kennel,MD

 

A nossa Doula: Carla Alexandra Sousa

Informações: info@cukuru.pt