Publicado em

Quando inscrever-me num workshop e começar a usar o Programa Baby Signs® com o meu bebé?

Costumo partilhar com os pais nos meus workshops que eu era a “maluquinha” na maternidade que debruçava no berço do meu filho (mesmo a dormir) e dizia a fazer o gesto “Queres leitinho?”

E não, não é preciso tanto, nem tão cedo quanto um recém-nascido! A minha ideia era simples. Eu queria ficar habituada desde logo aos gestos. E isso resultou lindamente connosco. Para mim fazer gestos tornou-se tão natural quanto falar!

No entanto quero falar-te de 3 grupos etários, que com as décadas de experiência do Programa Baby Signs® averiguou-se as preferências das famílias.

Dos 0 aos 8 meses

Pais que queiram habituar-se desde cedo e expor o seu bebé aos gestos mais cedo, optam por começar dentro deste intervalo de idades. A grande vantagem é mesmo a exposição. A desvantagem é para pais que querem ver resultados mais rápidos. Se sentes que ficarias frustrado por não ver resultados imediatos, recomendo que esperes mais um pouco.

Dos 8 aos 12 meses

Esta é a fase mais popular entre os pais de bebés a darem início aos gestos, uma vez que o bebé já se aproxima do nível de desenvolvimento cuja capacidade de fazer gestos também aflora. No entanto há registos de bebés a fazerem gestos mais cedo. Nesta etapa, os bebés estão muito atentos a tudo e mostram curiosidade sobre o mundo. Mesmo que os pais tenham que esperar pelo primeiro gestos, há maior interação com o bebé neste intervalo de idades, o que ajuda a manter o entusiasmo.

Dos 12 aos 18 meses

O nível de compreensão dos bebés nesta faixa etária é gigante, e a proporção da frustração por não se conseguirem expressar é diretamente proporcional! Esta é a etapa que os gestos mais falta faz. Os bebés que começam mais cedo podem chegar a esta fase já com mais de 30 gestos no seu vocabulário, e as palavras iniciam-se mais cedo devido à preparação do cérebro para a comunicação. No entanto pais que queiram ver resultados quase “na hora” podem aguardar pelos 12 meses. A desvantagem de começar mais tarde é de beneficiarem dos gestos por menos tempo.

Agora que já sabes quando vais fazer o teu workshop, fica atento às datas e inscreve-te aqui.

Espero que este artigo te seja muito útil e que possas usufruir de todos os benefícios do Programa Baby Signs® com o teu bebé.

Artigo relacionado: 11 Benefícios que pais e profissionais adoram no Programa Baby Signs

Um dia Feliz

Sabla D’Oliveira

Publicado em

Babywearing Descomplicado em 5 passos

Baby…quê? Se esta palavra é nova para ti e queres coisas fixes para o teu bebé continua a ler este artigo!

 

Passo 1: Saber o que é!

Fórmula para entender o que é o “Babywearing”:

Ter o bebé ao colo de forma Segura & Confortável + Mãos Totalmente Livres = Babywearing

Marsúpio conta? Não (o bebé ou o adulto não vão confortáveis e está em risco a segurança da coluna do bebé)

 

Passo 2: Saber as regras de segurança e conforto!

Caso já tenhas algum artigo de babywearing ou venhas a adquirir um, depois de colocado confirma se cumpres estas 4 regras:

a) estás à distância de um beijinho no topo da cabeça do teu bebé

b)o teu bebé apresenta uma curvatura natural da coluna

c) as pernas do teu bebé encontram-se em posição de “sapinho” ou “M” (os joelhos estão acima da linha do rabinho)

d) Vês bem a cara do teu bebé (queixo afastado do peito, para manter as vias aéreas desobstruídas)

 

Passo 3: Saber que artigos existem neste mundo do Babywering!

Estes são os mais comuns:

Pano não elástico – não é o pano do lençol, estes de babywearing têm uma tecelagem específica que acomoda o corpo do bebé e do adulto na perfeição! Parece que dá imensas voltas, mas é simples de te iniciares!

Pano elástico – tempo limitado de uso devido à sua elasticidade em proporção do peso do bebé. (dá uma sensação muito aconchegante a recém-nascidos)

Mochila ergonómica – pode ser usado à frente, às costas ou na anca. Há marcas especializadas que se adaptam a bebés mais pequenos

Mei tai – origem oriental, o seu uso fica entre um pano e mochila.

Onbuhimo – é praticamente uma mochila sem o cinto debaixo – usado às costas, com os mais crescidos.

Sling de argolas – um pano (especial para babywearing) com duas argolas cosidas na ponta.

Pouch Sling – uma nota especial para este! Há artistas e muita publicidade à volta deste sling, mas infelizmente em mau uso do artigo (este é daqueles que se usa a tiracolo, geralmente feito à medida do adulto). Apenas serve para usar na posição sentado (para quando o bebé já se senta) e não deitado, o passo 2 explica porquê!

… (e ainda há mais, mas fiquemos por estes)

 

Passo 4: Como saber por onde começar?

Nada como consultar uma Consultora Certificada em Babywearing para a tua família descobrir o vosso estilo e necessidade! Têm a oportunidade de experimentar vários tipos :D.

 

Passo 5: Onde comprar o meu artigo?

Depois de consultar o Passo 4 e teres descoberto qual ou quais os melhores artigos para a tua família, podes procurar em lojas (online ou físicas) de confiança!! De preferência portuguesas :D!! Já existem algumas e são top!

 

Qualquer questão, estou aqui para te ajudar!

Sabla D’Oliveira

Consultora Certificada Babywearing